06/01/13

Mas à que dizer.

São palavras que conservamos nos nossos interiores para que não saiam quando devem. Ou quando não devem. São sempre decisões nos instantes e que, bem, pode-se dizer que cada uma tem consequências diferentes. Mas há sempre palavras que vamos remoer mais tarde. Ora, hoje mandei fora. Hoje estás borboleta, ora isso pensas tu. Eu só estou a por os pontos nos is para que compreendas o quanto me estás a chatear. E já foram 19 anos sem abrir a boca, acho que tens sorte por ter sido tão educado e tão dentro de limites. Doí um tanto pensar que te tenha magoado por ter dito tais coisas, mas má love, as coisas existem para ser ditas. E como sou honesto de sangue, lá foram elas disparadas. Estamos bem. Beijinhos trocados. Bocas mandadas entre sorrisos.

A maior parte das vezes não dizemos as coisas que devíamos. Mas à que as dizer. Sim sim, à que as dizer.

8 comentários:

Rita Barbosa disse...

há que dizer as coisas da forma que elas merecem ser ditas, levando em consideração que a brutalidade nas palavras não ajuda. (:

Daniela Castro disse...

Á que dizer, a essencia está é na maneira como se diz! :)

Mary Jane disse...

Comment à parte do post mas que tinha de fazer: Há uma música inteiramente adequada à tua descrição de ti, estavas a ouvi-la enquanto a escreveste?

Mary Jane disse...

http://www.youtube.com/watch?v=noyJJrQrpuE

:) É só o fim da tua apresentação que é o título da música, mas todo o tom da música é descontraído como a tua apresentação.

Scone disse...

Gosto :) já estou a seguir.

joanamiguel disse...

já sabes como é (: agora ñ me deixo ir abaixo (:

marta disse...

Certamente que irá aparecer alguma coisa que gostarás para ti ou para oferecer. Ainda assim, um obrigada gigante desde já. *

Marilena' disse...

claro está que fui eu que ensinei ;)