03/12/11

Nostalgico



Vivo agarrado ao passado, verdade. Sou um nostálgico de coração e tudo o mais. Passo a vida a recordar momentos e acontecimentos, emoções que ficaram agarradas por ali e por aqui. Pedaços, réstias delas, estão. São. Ao de leve e ténues, mas estão. Parece que transporto o passado, mentalmente, para o presente, de modo a conseguir ver o filme diante dos meus olhos. Faço isso constantemente. Não consigo não o fazer. Suspiro. Milhentas de vezes, sim. Deve ser por isso que estou sempre a sorrir, graças a vocês todos que me passam na mente. Às tantas, o que é realidade? A ausência de passado na minha, e todas vossas, vidas, ou o transpor de um passado no quotidiano, constantemente? São misturas, como aquelas que faço ao lanche. Mas nhami, nem sempre são. Músicas mal cantadas, soam assim. E isso faz-me questionar sobre o que é e o que deixa de o ser. Será que somos mistura de tudo, ou somos a unicidade, em si? Não sei. Só sei que sou nostálgico e sou, talvez, um ponto negro, nesse negrume total, Óh Mundo estranho.

3 comentários:

anónimo. disse...

ñ sou a única,ainda bem $:

Maria Filipa disse...

Mundo demasiado estranho .

Maria Filipa disse...

Sim, não dá para ser de outra maneira.
Bom Natal *